2011, uma nova etapa.

MENSAGEM AOS NOVOS INTERESSADOS.

Durante as aulas do curso de joalheria, discutimos sobre os mais diversos assuntos e algumas alunas, por frequentarem o atelier semanalmente, já perceberam o grande número de ligações telefônicas e de pessoas que atendo diariamente buscando informações sobre o curso, e foi com relação ao porque do interesse em aprender joalheria que iniciamos um debate na semana passada sobre qual é a expectativa dos interessados. 

Costumo dizer que qualquer pessoa consegue fabricar jóias, basta ter vontade de aprender e alguém disposto a ensinar, mas até que se consiga dominar as técnicas o suficiente para se tornar um bom profissional, há um longo caminho a se percorrer, portanto antes de se decidir a iniciar um curso de joalheria é importante que o candidato reflita sobre o quanto quer realmente aprender e quais são suas reais expectativas. Gostaria de informar que o pior motivo que uma pessoa pode ter, e isso serve para qualquer àrea profissional, é a busca do retorno financeiro imediato, pois em se tratando de joalheria isto também é sinônimo de frustração, perda de tempo, energia e dinheiro. 

Muitos candidatos vislubram apenas um mundo de glamour, luxo e riqueza. É claro que nada é impossível, mas não deixe que o excesso de otimismo cegue seus olhos. Por mais habilidoso que uma pessoa seja, não conheço nenhum joalheiro que tenha enriquecido da noite para o dia. Na história profissional de todos há um caminho menos glamouroso que teve de ser percorrido.

Na manufatura de jóias, apesar de serem objetos pequenos, trata-se de um trabalho metalúrgico onde é preciso limar, lixar, martelar, torcer.... Um atelier de joalheria nada mais é que uma oficina de trabalhos manuais onde fazer força e sujar as mãos faz parte do dia a dia. 



Digo isto porque indo para o 3 ano e dezenas de alunos depois, já me considero suficientemente seguro para fazer um balanço e dizer que, infelizmente, nem todos conseguirão levar adiante seus planos de se tornarem joalheiros profissionais pelos mais diversos motivos: falta de vocação, de habilidade, problemas financeiros, pessoais...

A arte pela arte


O otimismo é uma virtude, mas manter os pés no chão é sabedoria! Vejo a joalheria como uma arte assim como a pintura e a escultura, só que as pessoas não começam a pintar ou esculpir com a pretenção de se tormarem um novo Van gogh ou Michelangelo em menos de 6 meses. Então qual o motivo que leva algumas pessoas a pensarem que assim será sua passagem pela joalheria? 

Gostaria de dizer a um candidato que em um ano de curso ele será um Antônio Bernardo ou uma Carla Amorim, mas qualquer um que lhe prometa isto, estará mentindo! O mercado tem um potencial gigantesco, mas também é fechado e concorrido e conquistar espaço é preciso tempo, dinheiro e muita determinação.

O início do curso é a pior parte! Não se consegue manusear as ferramentas corretamente, o vocabulário é desconhecido, as mãos doem, é muita informação ao mesmo tempo, o metal teima em manter a forma que ele quer e não a que você precisa, o acabamento não fica perfeito, as aulas não rendem o esperado e algumas pessoas irão criticar seu trabalho por não compreenderem a sua proposta. Isto só pra citar algumas dificuldades mais básicas. 
Mas apesar de tudo, se você acha que é capaz de suportar tudo isto, então pode se candidatar a uma vaga no curso de joalheria que terei enorme prazer em partilhar meu conhecimento com você.

Não sei se minha metodologia é a melhor, mas como a média de permanência de cada aluno é de 6 meses, pelos trabalhos seria possível fazer uma comparação, infelizmente, pelo que me informaram as outras escolas não divulgam os trabalhos que seus alunos são capazes de fazer. Então, como existem muitos profissionais que oferecem cursos de joalheria e cada um tem seu estilo e técnicas distintas, procure visitar as escolas para ver a estrutura e os trabalhos do professor antes de se decidir.
 

Um dos principais objetivos da escola de joalheria é oferecer a oportunidade para que as pessoas descubram os segredos da ourivesaria de maneira prazeirosa e sem pretenção.

Destaques


Algumas alunas de 2010 como a Kazumi, Silvia, Carmem e Rosângela, servem de exemplo para aqueles que estão iniciando na área. Pois se destacam não só pelo talento, determinação e criatividade de suas jóias, mas também pela postura de otimismo e perseverança em relação à vida, onde cada jóia terminada é vista como um desafio superado e é comemorado com alegria.

Em 2011, reforço meu compromisso de dedicar parte do meu tempo às aulas de joalheria, pois cada jóia que as alunas fabricam é algo que me proporciona grande satisfação pessoal, só perdendo para o prazer que sinto ao fabricar pessoalmente minhas peças e ver meus clientes felizes em poderem usá-las.

Então é isso! Faça como um hobby. Ao se sentar em uma banca, desligue sua mente do mundo exterior e começe a manusear as ferramentas lentamente, trabalhando o metal sem pressa até ver o produto finalizado. Não seja muito exigente consigo mesma, faça deste um momento só seu! Fazer joalheria faz parte do seu destino e o que tiver que ser será!

Saúde e paz para todos!


Wanderley Suguino

Escola de joalheria. 

Seguidores